BALANÇO 2014: O SEGUNDO ANO DO GOVERNO ANA PRETO!

15 12 2014

“De esperança e sonho de melhora, ao fim do segundo ano, o Governo Preto parece um filme de horror interminável…”

Ana Preto vem fazendo um governo desastroso.

Ana Preto vem fazendo um governo desastroso.

 

Chegamos ao fim de mais um ano de Governo Ana Preto, e como faço há anos (desde o governo anterior), faço um balanço pessoal, baseado em minhas experiências como repórter e apresentador do “Na Mira: Informação Verdade”, programa local com forte identificação popular e que tem como principal característica repercutir as demandas da população mais humilde.

PRIMEIRO SEMESTRE

A desculpa sempre repetida pelos “governistas” no ano de 2013, era que o orçamento fora herdado pela Prefeita anterior e não seria adequado para seus projetos, e que no próximo ano, ai sim poderiam cobrar algo. Quando chegou 2014, a esperança de muitos era que todas as incríveis presepadas de 2013 não se repetissem, e que a Prefeita poderia ter aprendido com os “milhares” de erros cometidos e faria uma gestão melhor… Não foi o que aconteceu.

O aniversário da cidade teria como atração IVETE SANGALO, que, bizarramente, fora alvo de críticas por toda a população, que assistia uma saúde sucateada, falta de remédios, falta de estrutura e um acúmulo de dívidas com fornecedores, tais como de remédios, empresa de ônibus, médicos, empresa de lixo e terceirizadas em geral. Isso serviu para inflar os ânimos da população, que não entendia a lógica de se gastar mais de R$ 1 milhão em um evento para um dia e ainda 159 mil reais, para a “incrível” cobertura televisiva de AMAURY JUNIOR, que apresenta um programa de madrugada e tem uma audiência de, pasme caro leitor, 0,2 pontos de ibope.

Além de não trazer nada de positivo e concreto para a cidade, o “velho” Amaury, acabou virando um garoto propaganda (!?) da terra da “ETERNA JUVENTUDE”, em outdoors pagos com dinheiro público, para se fazer propaganda de projetos que não saíram do papel e dos cérebros muito criativos da equipe de (des)governo da prefeita. E como azar pouco é bobagem, Ivete teve um resfriado e teve que alterar a data do show, mas as fofocas, desmentidas pela cantora diga-se de passagem, davam conta de um possível cancelamento por falta de “tutu”. Já sem credibilidade devido aos diversos “compromissos” não cumpridos em pouco mais de um ano à frente do paço municipal, a suposta “maldade” dos fofoqueiros e a mudança de data foi o suficiente para afastar potenciais turistas para o evento… Quando Ivete entrou no palco, muitos (ligados a gestão) suspiraram aliviados e comemoram como um gol em final de copa do mundo.

Com 0,2 de ibope e digamos...Um tanto quanto experiente, esse é o garoto propaganda da terra da eterna juventude.

Com 0,2 de ibope e digamos…Um tanto quanto experiente, esse é o garoto propaganda da terra da eterna juventude.

Enquanto esse mundo de fantasia acontecia, a cidade vivia uma crise com a Intersul (empresa de ônibus), uma crise financeira, pelo que parece muitos fornecedores (quase todos) sem receber, crise na educação (umas apostilas ridículas), crise na saúde, inclusive com mais uma troca de Secretário, dessa vez o Vereador Dr. Rubens assumia e crises e mais crises para tudo quanto é lado, deixavam a cidade um verdadeiro “pandemonium” e aparentemente sem condições mínimas de melhora imediata.

Os Vereadores que deveriam fiscalizar e agir com veemência contra esse trem desgovernado, que era o governo municipal, procuravam blindar a administração, salvo raras exceções como Dr. Luiz Mauricio e André de Paula, que em nenhum momento titubearam em defender a combalida população peruibense.

Soluções esdrúxulas do ano anterior estouravam no bolso do munícipe: IPTU mais caro sem dúvida foi o que mais revoltou a população, que contrariada pela medida, deixava de pagar seus carnês com a, frisa-se: inacreditável desculpa: “Vou deixar para pagar para um Prefeito mais responsável, pois nessa daí é dinheiro jogado no lixo!”. Para o filme de terror ficar completo, os vereadores da base ainda tiveram que sentir na pele a impopularidade causada por outros (dos milhares) “ABSURDOS” como a taxa de iluminação pública.

Com um cachê como o dela, como não amar Peruíbe e dar esse "sorrizão"?

Com um cachê como o dela, como não amar Peruíbe e dar esse “sorrizão”?

Enquanto rifava os Vereadores da base sem dó e nem piedade, tanto que um tempo depois Ivo e Mohai deixaram o apoio em meados de outubro, o secretário de Governo da Prefeita, ia para a TV rebater os críticos mais ferrenhos, fazendo mais promessas, de difícil execução, é a bem da verdade, e amargavam derrotas para a oposição, como por exemplo: a impugnação da inacreditável e desnecessária reforma de 1 Km da orla da praia, chegamos ao fim do primeiro semestre, alucinante por sinal, com uma pulga atrás da orelha: será que dá para piorar?

 

SEGUNDO SEMESTRE

Já entrando nas eleições de 2014, onde o foco seria os candidatos locais à Câmara dos Deputados e fazer militância para os candidatos à presidência da República. A Prefeita continuou sofrendo com a saúde. O escândalo do “protocolão” surgiu chocando a região: a prefeitura pagava 30 horas e o médico trabalhava 24, absurdo esse revelado pelo assessor do secretário de saúde à época, o Sr. Nilson, que, ou em um pico de inocência ou com um incrível senso de justiça, decidiu jogar tudo no ventilador, nem que para isso colocasse em risco a Prefeita e o Secretário.

Após a eleição e vislumbrando retomar o barco, a Prefeita tentava se reerguer, mas seguiu levando pancadas, foram tantas que seria absurdo enumerar aqui e o pior: perderia nomes importantes da base, como o vereador Ivo e o recém derrotado à Assembleia Legislativa, Mohai, ambos gozando de impopularidade junto ao eleitorado, que não perdoara o aumento de IPTU e aprovações de inúmeros remanejamentos e embora ambos se distanciassem do Governo, como se fosse uma tatuagem, a marca Ana Preto custava a sair. A prefeita ainda perde o apoio do vice-prefeito Nelsinho e do irmão Osvaldo, que também é vereador, ambos pularam do que alguns, chamam pelos corredores da prefeitura, Titanic.

Para piorar, a Prefeita é convocada ao GAEMA e assina uma TAC – termo de ajuste de conduta, onde se responsabiliza, inclusive patrimonialmente, pelas melhorias exigidas pelo Ministério Público, GAEMA e CETESB sobre a questão do nosso lixão, caso não cumpra no prazo estabelecido, ela corre o risco de responder por improbidade e pagar as multas do próprio “borso”.

Sem vice, sem base e sem perspectivas de vitória para a câmara, tendo em vista que uma eleição à presidência batia na porta. O articulador Paulão, agora ex-secretário de Governo, mas ainda poderoso nos bastidores, voltou a cena e movimentou as peças, importando “talentos” oriundos do “PSB” e que vinham se posicionando como “oposição ao que está aí”, e incrivelmente, com os novos “apoiadores”, conseguiu eleger o Presidente, dessa vez Rafael do PMDB, que venceu Luiz Maurício no pleito.

Eis que chegamos a mais um fim de ano com a saúde debilitada, sem dinheiro, o Governo buscando desesperadamente através de sessões extraordinárias na câmara, conseguir remanejar dinheiro para fechar o ano e tendo dificuldade de pagar a folha de pagamento, lembrando que em alguns meses do ano, se não fossem os famigerados remanejamentos, isso não seria possível. Além disso, com uma programação de fim de ano e de Verão, pífias, a marca principal do Governo Preto nesses dois anos é a da desilusão.

2015 está chegando, as movimentações visando 2016 já começaram e melhoria que é bom para população, nada. Desesperada, a Prefeita e sua equipe fizeram alianças com outros políticos igualmente desesperados, muitos deles, que perderam o rumo já na eleição desse ano, e tentam a todo custo se manter em evidência.

Nos bastidores Ana diz que não será candidata à reeleição e eu acredito, afinal seria necessário um milagre e muita cara de pau para encarar a população, após uma gestão desastrosa como a que ela vem liderando. E a tendência é que tenhamos um 2015 ainda mais desgastante para a mesma, para a base e para os políticos que a rodeiam, tentando a tudo custo manterem-se de pé na ponta do Titanic, que já bateu no Iceberg, mas apenas esqueceu de afundar. Para desespero da população, dá até para escutar “My heart will go on” tocando ao fundo, transformando tudo numa ópera brega e de extremo mau gosto, onde quem paga o pato, é sempre a população.

Um horror, um horror…

É pau na lomba!

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: